terça-feira, fevereiro 22, 2005

Ignorância Profunda

Dá-se a palavra à ignorância. Apesar de faustosos conhecimentos sobre a antiguidade clássica, todo o discurso de JCN é trespassado por uma fervorosa ignorância. A sua negação da diversidade, o seu julgamento é pouco mais que anedótico. Assumido católico, este senhor fala de “amor ao próximo” mas não tem pejo em condenar e violentar a liberdade que todos os seres humanos têm de ser diferentes. Não consegue compreender uma sociedade em constante evolução.
As suas comparações são assassinas. A comparação da homossexualidade com a pedofilia é desprezível, mais própria de um analfabeto inculto de que de uma pessoa culta. E quanto a isso nada mais digo porque as “suas” palavras falam por si.
Recentemente vi o filme “Relatório Kinsey” que aborda as questões da ignorância sobre a sexualidade. Fiquei a pensar na actualidade do mesmo, e este senhor é uma boa prova disso! As suas ideias sobre o preservativo, sobre a masturbação são risíveis e anedóticas. Pergunto-me se lhe aconteceu algum trauma enquanto pequeno para ter ideias tão distorcidas sobre a sexualidade do ser humano. A masturbação vicia? Não nos podemos subjugar ao seu poder? Será que ele pensa que todos os homens são iguais (a ele)? Quanto ao aborto…não se podia esperar nada de muito diferente!
“ Se os homens ficassem grávidos, o aborto seria o sétimo mandamento” – Vera Drake
Não consigo deixar de pensar que este senhor deve sofrer imenso com o seu outro “eu” que olha com desdém para o homem que passa, ou para a criança que brinca, …
Só assim se explica tamanha imbecilidade de pensamento, na negação da realidade!