segunda-feira, fevereiro 21, 2005

Nós, Trotskistas, agradecemos...

... porque não pedíamos tanto. Possivelmente porque lhe faltavam as forças para voltar a ser o "Paulinho das feiras". Possivelmente porque quer ser o candidado do centro-direita às presidenciais.

... porque sabemos que continuaremos a ser uma alternativa, visto está que o PS não fará uma governação à esquerda. (retratar-me-ei se assim não fôr)

... porque invariavelmente as maiorias absolutas levam a excessos de poder. Alguém na televisão "alertava" (como se de um perigo terrorista se tratasse) quanto à hipótese de a oposição se começar a fazer em "movimentos sociais" em vez de ser feita no parlamento. Ainda bem. Nós, os trotskistas, não nos inibimos desse direito. Foi assim na "ponte 25 de Abril", foi assim na Marinha Grande.

... porque como dizia num blog "Os EUA vão passar a ter um exército só de robots?!; Grande coisa! Portugal já tem um robot como Primeiro-Ministro."

Admito: Não fiquei contente com a maioria absoluta. Consegui a minha pequena vitória: eleger um deputado da CDU por Braga. Não auguro um futuro particularmente risonho. PSD: vende-se à melhor licitação. CDS: I'll be back!.