terça-feira, maio 31, 2005

se ainda for a tempo...

O Sítio do Não avisa:

GRANDE PLANO - DEBATE NA SIC NOTÍCIAS SOBRE A CONSTITUIÇÃO EUROPEIA - HOJE ÀS 22.30

“Grande Plano” apresentado pela jornalista Conceição Lino, com José Pacheco Pereira, Jorge Miranda, Guilherme D´ Oliveira Martins, Paulo Almeida Sande e Teresa de Sousa (em príncipio).

mais um não?



Aguardando com espectativa o referendo de amanhã na Holanda, deixo-vos este site com muita informação sobre a Constituição Europeia.(recomendo que não o visitem com o Mozzilla, acentos e cedilhas não lhe são muito amigáveis...). Gostava que desta forma ficasse o blog aberto a um debate sobre a matéria: prós, contras, datas para referendo, a necessidade e os problemas de um referendo, o caso da França, o que dirão os britânicos, qual o futuro da União, etc. Os leitores que prefiram o mail aos comentários, não se inibam de escrever, a publicação on-line será feita, se os autores o entenderem.

a confissão

Aos 91 anos, Mark Felt, ex-número 2 do FBI, confessa-se o "garganta funda" do caso Watergate. Algumas palavras do homem que ajudou os jornalistas do Washington Post (Bob Woodward e Carl Bernstein) nas investigações que puseram a nu os meandros da política norte-americana:

"I don't think (being Deep Throat) was anything to be proud of," Felt indicated to his son, Mark Jr., at one point, according to the article. "You (should) not leak information to anyone."

"I would have done better," Felt told The Hartford Courant. "I would have been more effective. Deep Throat didn't exactly bring the White House crashing down, did he?"

in washingtonpost.com

A propósito: documentos dos dois jornalistas podem ser vistos aqui.

segunda-feira, maio 30, 2005

"Nave Europa"

Eu preferia estar a discutir a questão Europeia na sequência do referendo francês. Mas não.
O P. Luciano Guerra, pretendeu, num estilo que se tem agudizado ultimamente no seio da pastoral católica apostólica romana, trazer a discussão um tema, que (segundo ele) poderá levar a Europa à morte.
Termos como "mulheres abortistas", "Presidente barbudo" (touché!), "esquarteje em pedaços o filho das suas entranhas", "escombros de tantos corpos inocentes atirados para as lixeiras, ou macabramente transformados em cremes de amaciar a pele das próprias mães" fazem, com certeza, as delícias d' "as esquerdas".
Quanto à semântica pirosa estamos conversados. Quanto à forma primária e absolutamente deplorável como se expressa, também.
O verdadeiro problema é saber-se se esta é a linha oficial do pensamento católico. Eu tenho as minhas dúvidas que não seja. A ortodoxia que se tem assistido nas últimas afirmações públicas de alguns sacerdotes, que nunca foram publicamente diminuidas, apontadas, amansadas, relativizadas (o que se quiser!) , por parte da hierarquia católica portuguesa, é um sinal preocupante... para os católicos. Se é esta a forma como pretendem discutir o "não" ao referendo da IVG, só proporcionará a que a comunidade católica portuguesa demonstre a superioridade intelectual e civilizacional, afastando-a ainda mais da "cartilha" tal como Luciano Guerra gostaria que fosse entendida.

Ps: de referir que cito o orgão oficial do Santuário de Fátima , " Voz de Fátima".

Ps2: enquanto navegava no site do santuário de fátima, algures entre o pedido de oração e a secção "casamentos e baptizados" (com as respectivas taxas canónicas!), deparei-me com uma realidade atroz: Luciano Guerra não é o padre responsável pelas migrações e refugiados, não é o padre responsável pelos jardins do santuário, é sim Monsenhor Dr. Luciano Guerra, reitor do Santuário de Fátima. Shame on you Mr. Guerra!

absolutamente obrigatório!


o menos mau das noites nocturnas de um par de dois
teatro latino [ao lado do Sá da Bandeira], 21:45
até 12.06 terça a domingo pelo teatro da palmilha dentada texto e encenação ricardo alves interpretação ivo bastos e rodrigo santos [com um texto do nosso Siabra man].
Após três anos na "Tertúlia Castelense" na Maia, onde estreou 25 espectáculos de café-teatro, o Teatro da Palmilha Dentada apresenta agora a selecção dos seus trabalhos menos maus."
texto in agendadoporto.pt

É o conselho que vos dou: se querem chorar a rir, não percam esta peça, MESMO! Muito mais "fedorenta" do que outros "gatos"...! Imperdível - passo a publicidade.

sábado, maio 28, 2005

agora a sério

Parece que o tempo do brincar aos políticos acabou, ou terá, pelo menos, tido uma pausa. E parece também que a casmurrice de Sócrates afinal é útil ao país. A obsessão cega de Ferreira Leite e Bagão Felix pelo défice não fez escola. Alguém percebeu que as receitas extraordinárias são, como o próprio nome indica, extraordinárias. Não se pode estar constantemente a recorrer às mesmas nem assim ficava o problema resolvido. Apesar de todas as medidas tomadas até agora (no que respeita também a outras áreas da governação) terem a aparência de pequenos princípios, de insuficientes começos, o que é certo é que existem, quando antes não saiam do discurso pré-eleitoral. Mesmo conhecendo os riscos e as sanções, Sócrates sacode-nos a todos do "medo da europa e do mundo" que tanto nos aflige e nos auto-diminui. É-se sério. A novela política acalma. E para isso muito contribuiu Marques Mendes: o chapéu lhe seja tirado. Mas a classe não perde tempo e já se agitam as águas: autárquicas, presidenciais...Por agora uma pausa...

comentários

A partir deste momento, e depois de ouvida a maioria das vozes do Porque Sim, passa a ser possível fazer comentários, desde que seja feito um registo prévio na blogger. A tirana administração deseja boa sorte aos comentadores e aos comentados.

quarta-feira, maio 25, 2005

A ouvir...



Um concerto que em quaisquer outras mãos se poderia ter revelado um fiasco tornou-se numa das obras primas de Keith Jarret e do Jazz contemporâneo.
Gravado em 1975 na Opera House de Colónia e lançado nesse mesmo ano, este disco ainda hoje soa actual pela intemporalidade que possui, em parte pela criatividade ímpar deste pianista e compositor que este mês completou 60 anos mas também pelo contexto em foi gravado.
Após uma fase prolífica da sua carreira, em que se embrenhou no jazz de fusão, misturando a linguagem jazística com o rock (de onde saíu um dos álbuns mais brilhantes de sempre, "Bitches Brew", dirigido por Miles Davis), e inevitavelmente saturado com esta sonoridade, Jarret decide dar um novo rumo à sua carreira e deixando para trás o piano eléctrico, aposta num som mais introspectivo e puro, a sós com o seu piano, de onde saíu este álbum.
Mas por pouco as coisas não correram pelo pior...O piano com o qual era suposto tocar não chegou e o que lhe disponibilizaram tinha um som demasiadamente metálico que lhe desagradava.Quem toca instrumentos sabe o quanto custa ter que tocar num instrumento que não nos é familiar, ainda mais se não gostámos do som que ouvimos...
Mas provando o seu profissionalismo, Jarret fez o concerto e gravou-o, ultrapassando as barreiras físicas que o pudessem prejudicar e pondo todo o seu virtuosismo em palco, voando alto e criando uma obra genial.

Para consumir...até gastar a rodelinha espelhada...

terça-feira, maio 24, 2005

6,83...

Em números redondos, o défice orçamental a que a Comissão liderada por Vitor Constâncio chegou foi 7% do PIB.
Explicações?Poucas de quem é realmente responsável...Sabe-se apenas que as áreas que mais contribuiram para este número foram a Saúde (com um prejuízo a rondar as centenas de milhões de euros) e a Segurança Social .
Em substituição do discurso da tanga, já se ouve falar em discurso do "fio dental"...
Medidas a tomar...A doutrina, como sempre, divide-se. Há quem fale no aumento dos impostos sobre o consumo, outros defendem o aumento dos impostos indirectos, nomeadamente o IVA, o imposto sobre os produtos petrolíferos e sobre o tabaco.Outros prevêm ser inevitável o aumento dos impostos sobre o rendimento, tanto sobre as pessoas singulares como sobre as pessoas colectivas...
Será que vamos voltar ao mesmo, com medidas avulsas, inconsequentes e até prejudiciais ou haverá a coragem necessária para tomar medidas verdadeiramente estruturais que influenciem o comportamento da economia e das finanças públicas não só a curto como a médio e longo prazo?
Esperemos que a maioria absoluta sirva para algo mais do que ter um maior número de assentos parlamentares...

segunda-feira, maio 23, 2005

a malta é jovem e tal...



Um comentário um bocadinho chato: se a malta não tem mão nos que têm uns parafusos a menos, e se era só para assustar, a malta não se devia ter esticado tanto, porque depois quem se lixa é o mexilhão da própria malta.
Segunda parte do comentário mesmo chatinho de todo: primeiro lugar só há um, portantos, se a malta não se importa, desta vez é dos mouros. Perceber isto poupava muita chatice, não poupava?

Eh eh! :)

E pronto, já está....

Após uma época inteira a "cozinhar" o há muito ansiado título, para gaudio da dita "multidão" de adeptos, o Benfica sagrou-se campeão nacional 11 anos depois do seu último título.
Pena não ter sido nem de perto nem de longe a melhor equipa do campeonato...
Apesar de ser portista, há que dar o crédito a quem o tem. O Sporting teve uma das melhores épocas de sempre, com grandes goleadas e um bom desempenho fora de portas. No entanto, "morreu na praia", sem títulos e sem glória. O futebol espectáculo já não é o que era...
Quanto ao Porto, teve uma época no mínimo peculiar...Já não há memória de tantos pontos perdidos em casa e de jogos tão mal conseguidos, apesar das estrelas que tem no plantel.Acordou tarde e já não foi a tempo... Pelo menos o 2º lugar e a Champions...Espera-se uma renovação profunda que peca por demasiado tardia e que o novo treinador (ex-AZ Alkmar) tenha carta branca para fazer o que tem de ser feito para pôr ordem na casa.
Quanto à época em si, foi uma das piores de sempre, com os ditos grandes a claudicarem em alturas decisivas e os clubes mais pequenos a terem um protagonismo exacerbado, na altura em que era necessário encher as manchetes dos jornais desportivos diários (caramba são demasiados...), excepção feita ao Sporting de Braga, com um plantel equilibrado e lutador que com certeza dará que falar na próxima Taça UEFA.
Mas verdade seja dita, feito o balanço, é no mínimo irónico chamar ao nosso campeonato Superliga...

sexta-feira, maio 20, 2005




"May the Force be with you..."

quinta-feira, maio 19, 2005

Hoje ouvi no telejornal algo que me surpreendeu sobremaneira. O Inspector responsável pela investigação que descobriu a corrupção de membros da GNR (um choque para todos os portugueses, concerteza) deu uma entrevista onde afirmou que "a cultura de corrupção na GNR é transversal e nacional". A resposta não se fez esperar e em comunicado, o Comandante Geral da Guarda de todos nós defendeu os seus homens com a seguinte afirmação: "Não é verdade que haja corrupção a nível nacional, o que existe é uma prática de aceitar pequenas recordações".
Fontes não oficiais dizem que existiram 3 versões anteriores deste comunicado. Em todas elas existiam Post scriptuns diferentes que não se mantiveram na versão final. Tivemos, logicamente, acesso a essas versões, e aí ficam de seguida os PSs agora apagados:
1. "PS. Transv quê?"
2. "PS. Perguntar ao Borges o que significa transversal"
3. "PS. Transversais só na PJ. Na GNR ninguém mudou de sexo e somos todos muito homens!"
Umas semanas antes no Prós e Contras da RTP, Maria José Morgado respondia assim quando instada a comparar as relações entre Portugal e o Brasil:
"Que eu saiba, em Lisboa podemos passear em qualquer lado a qualquer hora sozinhos sem ter medo"
O público, cretino, riu-se.

jazz para além da morte


Mingus Big Band
Serralves - 4/5 Junho - 18h

Pergunta...

Apesar de acompanhar diariamente o rumo deste blog...
Se me quiserem responder a esta pergunta, como é que vão fazer?
Noutro post?
Nos comentários que não existem?
E será que já não seria tempo de existirem?

Fica aqui a pergunta...Obrigado!

quarta-feira, maio 18, 2005

Relatório deficitário

...E eis que, quando já nada o fazia prever, tendo em conta o passado recente de austeridade e sacrifício em prol do progresso da economia e do equilíbrio das Finanças dos governos PSD (sim, foram dois...), o fantasma do défice regressa mais forte que nunca...
A comissão Constâncio continua o seu trabalho mas não se auguram boas notícias...Fala-se "off the record" num défice de 7% do P.I.B. e Constâncio, de quem já tão bem se conhece a contenção verbal, vem a público preparar o povo para o pior, dizendo que a situação é grave, embora só afecte o Estado e não as empresas, não se prevendo que o défice venha a afectar a recuperação da economia portuguesa, sendo, no entanto, necessária a tomada de medidas nesta área a curto e médio prazo. O relatório da Comissão, esse começa já a tardar...
Questionado sobre a matéria, Marques Mendes prefere não comentar o passado e limita-se a encetar a já tão bem conhecida "fuga para a frente", afirmando que o mais importante nesta altura será ver como é que o Governo lidará com este problema, deixando a entender ser contrário a um eventual aumento de impostos. Ora sendo ele um dos membros do Governo que gerou esta situação, esta atitude de não assunção de responsabilidades que também são suas afigura-se, no mínimo, surpreendente (embora compreensível politicamente) porque não condicente com a imagem de mudança e rigor que tem procurado transmitir.
Entretanto, avolumam-se as especulações sobre qual o caminho que o Governo irá tomar, com eventuais desmentidos mas apenas na medida do necessário.
As novidades aguardam-se com expectativa, constituindo esta, indubitavelmente, a primeira prova de fogo do novo Executivo...Esperemos que o rumo traçado seja também novo, procurando fugir aos erros do passado recente...

terça-feira, maio 17, 2005

poesia do meu pai



com desenhos do Escultor José Rodrigues
e posfácio do Prof. Anselmo Borges

Biblioteca da Faculdade de Engenharia da Univ. do Porto
21 de maio - 18 horas

A pretexto da apresentação do livro, decorrerá um debate sobre "Eros - criação e religião", com intervenções de Jaime Milheiro [psicanalista] e Jorge Cunha [professor de Teologia Moral da Univ. Católica] e moderação de Anselmo Borges [professor de Antropologia Filosófica da Univ. de Coimbra]. Haverá leitura de poemas por parte de Paulo Bateira, acompanhado a harpa por Pedro Ribeiro.

segunda-feira, maio 16, 2005

Rock is not dead...




...E quando pensava que mais nada me podia surpreender em termos do rock mais pesado que se vai fazendo por aí (leia-se metal...se bem que as classificações só interessam para procurar música nas lojas ou ver as críticas...), este álbum vem ter às minhas mãos um ano depois de ter saído.
Porquê a surpresa?Porque neste estilo de música inovar é dificil e as tentativas mais recentes têm resultado em fracasso, redundando em algo mais comercial que outra coisa ou então simplesmente intragável.
O som é uma mescla bem trabalhada entre o rock mais clássico dos anos 80-90 (por exemplo de uns Metallica da formação original ou de uns Black Sabbath, quando o Ozzie ainda sabia cantar...), perfeitamente audível em alguns riffs e nos solos, e a modernidade, soando a espaços a Tool e aos Deftones de "Adrenaline" e "Arround the Fur", subtraíndo a loooonga duração das faixas de Tool (embora a penúltima faixa tenha mais de 13 minutos...sugados até ao último instante) e a voz desafinada de Chino Moreno e adicionando uma lição bem estudada de como fazer música poderosa sem abdicar de um som completamente "radio unfriendly" e usar a inspiração alheia não para a "clonar" mas apenas para voar mais alto.
A secção rítmica é fabulosa, com o baterista Brann Dailor a explicar com mestria como deve ser a batida num álbum destes e o baixista Troy Sanders (que também dá uma ajuda nas vozes)a complementá-lo na perfeição.
A técnica e os riffs de Bill Kelliher e Brent Hinds (também vocalista), tornam a guitarra na protagonista omnipresente do álbum, surpreendendo à medida que as músicas se vão sucedendo pela sua estrutura sólida e inovadora...e sem dar por isso, começamos a tocar na nossa guitarra imaginária, sonhando que somos estrelas de rock...
Não é o álbum perfeito (será que ele existe seja qual for o estilo musical?) mas é ainda o 3º da carreira dos Mastodon, sendo o 1º de 2001...espera-se que a máquina ainda não esteja completamente oleada e o melhor ainda esteja para vir.


Dia 29 de Maio estão no Super Bock Super Rock.

Malditos exames!!!!!

domingo, maio 15, 2005

santa cromisse

O Benfica ganhou ao Sporting, mas desta feita terá que se dizer, inversamente, que se ganhou a batalha, mas ainda se não ganhou a guerra. A gente até acredita, porque a gente é de boa vontade e até tem fé, no presidente que avisa que os moços lá da Luz «Há-dem, há-dem!» ser campeões. E por isso toca a vestir tudo o que de vermelho lá por casa existir, mulher, sogra, filhos e cão, embarcar no águia-mobile e gritar, às voltas ao Marquês, porque até "já sêmos campeões"! Na volta aparece um espertinho de microfone que lembra: mas ainda falta um jogo...! O que tendo em conta a regularíssima época dos nossos grandes, não é nada assustador, longe disso.
No meio na febre colectiva, o homem do microfone, um espertinho, tem ainda tempo para descobrir um lagarto desnorteado que ainda acredita no "títalo". É a magia do futebol a injectar nos corações da malta razões que a malta desconhece mesmo.

sexta-feira, maio 13, 2005

É a Sociedade, estúpido...

Em bom português, há 2 coisas que me andam a irritar de sobremaneira, com as quais ando a embicar, quiça até a engonhar, mas de certeza a respingar:

1- A juventude que no primeiro raio de Sol veste a t-shirt "Vilar de Mouros", fazendo-nos admirar este ser calorento, que "estou-tão-próximo-das-férias-que-não-preciso-esperar-mais" e que "lá-na-minha-terra-choveu-o-suficiente-pra-não-nos-preocuparmos-com-a-seca". De bradar aos céus (por uma copiosa chuvada claro!) é o conjunto t-shirt, calçãozinho às flores e chinelo. Haja decência primaveril!

2- A fantástica descoberta da população condutora deste país, obtendo, num passo de mágica, o título "condutor do ano": o esfregar nos olhos de todos nós dos respectivos coletes florescentes. Ninguém sabe para o que servem. O que é preciso é tê-lo e mostrá-lo! Assim já cumpri o meu dever de cidadania e já sou um condutor respeitador do código!

Termino com a minha sugestão aos dois gruposde populaça acima descritos: porque não uma junção do útil ao agradável? vestimenta óptima para destilar os calores próprios da ocasião: o coletezinho vermelho florescente. Como medida de optimização da condução: utilização do chinelinho de praia. Daqueles com espaço extra pró dedo grande do pé.

terça-feira, maio 10, 2005

Back to the real life...

Mais uma Queima que passou...e agora custa tanto voltar à real life, ao dia-a-dia desta cidade onde não se passa nada e readaptar o relógio biológico ao horário "normal".
O que ajuda é saber que neste país as coisas ainda vão estando mais ou menos agitadas, pelo menos quanto à nossa política.
Começou a "corrida" para as autárquicas.Os novos lideres são postos à prova, principalmente no que respeita à escolha dos seus candidatos.
Marques Mendes ainda há pouco chegou e já tem duas enormes "batatas quentes" entre mãos:Valentim Loureiro e Isaltino Morais.
Em ambos os casos, os seus nomes foram preteridos para a candidatura nas respectivas câmaras (GOndomar e Oeiras) e está aberta a guerra, já que se prevê que formalizem candidatura, sendo que a de Isaltino será como independente e a de Loureiro provavelmente seguirá o mesmo caminho, já que, apesar de o líder do PSD lhe ter retirado o apoio, alegando falta de confiança política (que, verdade seja dita, ainda não foi convenientemente justificada), a concelhia local mantém o major como o seu candidato.
Prevêm-se para hoje declarações dos partidos de direita, esclarecendo (espera-se que de vez) este e outros assuntos tais como os moldes em que serão apresentadas as candidaturas a Lisboa e ao Porto.
Quanto aos casos Isaltino e Valentim demonstram algo que, infelizmente, já não é novidade: o apego desmesurado e inconsequente ao poder de alguns autarcas que, por muito que o circo pegue fogo à sua volta, insistem na teoria de que nada os pode queimar. Espera-se que a nova lei que restringe o número de mandatos autárquicos tenha uma aplicação célere, evitando futuras "birras" como estas...

Chegou hoje ao conhecimento público mais uma "bomba" bem nociva para a Direita.
Nobre Guedes (ex-Ministro do Ambiente e do Ordenamento do Território), Telmo Correira (ex-Ministro do Turismo ) e Abel Pinheiro (antigo responsável das finanças do CDS-PP durante a presidência de Paulo Portas) encontram-se envolvidos num processo de tráfico de influências, tendo sido este último interrogado durante 7 horas esta madrugada, após o qual foi libertado sob caução.Quanto a Nobre Guedes, foi também constituído arguído no âmbito deste mesmo processo, encontrando-se, no entanto, tanto ele como Telmo Correia protegidos pela imunidade parlamentar inerente aos seus actuais cargos .
O caso tem já uma década e iniciou-se quando a sociedade Portucale, ligada ao Grupo Espírito Santo, procurou obter viabilização para a construção de um empreendimento turístico numa área protegida em Benavente.
Poucos dias antes das últimas eleições (publicação foi feita a 8 de Março), um despacho conjunto dos Ministros do Ambiente, Agricultura e Turismo veio desbloquear a construção do empreendimento e autorizar o abate de 2600 sobreiros (espécie legalmente protegida), por a considerar de "imprescindível utilidade pública" .O actual Governo veio já revogar o despacho, considerando não se encontrar fundamentado o imprescindível interesse público do empreendimento e o facto de não existir ainda qualquer declaração sobre o impacte ambiental da obra.
Mais uma história de um Governo que vai deixar saudades e uma borra bem visível na retrato perfeito que Portas tinha feito dos Ministros PP do anterior Governo...Aguardam-se as cenas dos próximos capítulos...

sexta-feira, maio 06, 2005

A Queima...

Tantas recordações, grandes momentos, outros nem tanto...
É o 7º ano consecutivo que me dirijo ao Parque da Cidade nem eu percebo muito bem porquê... :)
Talvez por achar (erroneamente ou não...) que apesar do cheiro e de um certo desconforto que inevitavelmente se instala ao fim de alguns dias, é um sítio privilegiado para se conhecer um pouco melhor pessoas que talvez no dia a dia da faculdade nos passem um pouco ao lado, curtir os concertos e as conversas pseudo-filosóficas sobre a vida em geral com os amigos ou para confirmar que, afinal, à noite nem todos os gatos são pardos...e daí pode ser que esteja completamente enganado e apenas seja mais do mesmo que assisto todos os dias mas noutro enquadramento, digamos, mais "liberal".
Apesar dos pesares, a Queima mantém ainda um espírito saudavelmente inqualificável (palavra dúbia mas interessante...), algures entre a busca de uma noite diferente numa boa companhia ou a procura de nós mesmos no meio do tumulto louco duma multidão sem rumo, entrecalado com umas borlas e uns relatos de cenas inarráveis que em qualquer outro sítio seriam bastante reprovaveis to say the least...
E ainda há mais 2 dias à espera de serem sugados :)

CArpe Diem

quarta-feira, maio 04, 2005

25/06/2005


PAT METHENY GROUP - Coliseu Porto